Apadrinhamento Afetivo

O Apadrinhamento Afetivo é um programa para crianças e adolescentes acolhidos em instituições, com remotas chances de retorno à família de origem ou adoção. Tem como objetivo, desenvolver estratégias e ações para construção e a manutenção de vínculos afetivos entre eles e os voluntários, nos papéis de padrinhos/madrinhas e afilhados (as).

O Programa busca coerência com o Art. 4º do Estatuto da Criança e do Adolescente - ECA, Lei 8069/1990, que praticamente reproduz o Art. 227 da Constituição Federal: É dever da família, da comunidade, da sociedade em geral e do poder público assegurar, com absoluta prioridade, a efetivação dos direitos referentes à vida, à saúde, à alimentação, à educação, ao esporte, ao lazer, à profissionalização, à cultura, à dignidade, ao respeito, à liberdade e à convivência familiar e comunitária”.

A realidade cotidiana de crianças/adolescentes acolhidas em instituições tem despertado a atenção da sociedade e organizações que atuam na defesa dos direitos de crianças e adolescentes. Verifica-se, em geral, a ausência de fatores fundamentais ao bom desenvolvimento do ser humano, como: tratamento individualizado, afeto, aconselhamento, vínculos afetivos significativos, convivência comunitária, etc. A ausência desses fatores pode agravar nessas crianças e adolescentes, problemas como solidão, sentimento de abandono, baixa autoestima, agressividade, baixo rendimento escolar, dificuldade de socialização, entre outros.

Diante dessa realidade, e consciente de que é responsabilidade da família, do estado e da sociedade zelar por suas crianças e adolescentes, foi elaborado o presente programa, ressaltando-se a importância de crianças e adolescentes acolhidos vivenciarem cuidados individualizados, tendo como mediadores padrinhos e madrinhas capacitados para esse lugar de cuidadores, bem como o aprendizado em outras configurações familiares que devem favorecer o sentimento de pertença, muitas vezes perdido ao longo dos anos de institucionalização. Acreditando que, para as crianças e adolescentes que vivem a experiência do abandono e da negligência familiar, às vezes basta que encontrem uma pessoa significativa para que a esperança na vida lhes volte.

Para ser padrinho/madrinha de uma criança ou adolescente que vive em uma casa de acolhimento é preciso antes de tudo ter a sensibilidade para olhar a criança/adolescente além de suas perdas e abandonos. É preciso que se olhe e se perceba o que há de melhor dentro de cada um. É essencial que se olhe este sujeito com os olhos cheios de esperança! Padrinhos/madrinhas precisam ter consciência de que o vínculo é uma construção, e que somente se tornará real se ambas as partes (padrinhos e afilhados) tiverem o desejo de compartilhar uma história, de forma não linear, claro! Precisam estar dispostos à experiência, num processo de trocas, oferecendo o que há de melhor em cada um e o tempo para essa construção deve ser considerado para que gere confiança, segurança e intimidade.

Quem participa?

Para iniciar o processo e se tornar um padrinho ou madrinha, consideramos alguns requisitos:

  • Tenham disponibilidade para partilhar tempo e afeto com crianças/ adolescentes acolhidos;
  • Possam oferecer cuidados de qualidade e singularizados;
  • Desejem colaborar com a construção e sustentação do projeto de vida e promoção da autonomia de adolescentes;
  • Tenham mais de 21 anos de idade (diferença de pelo menos 16 anos para o afilhado);
  • Não façam parte do cadastro da adoção;
  • Participem dos encontros de sensibilização e formação de padrinhos e madrinhas;
  • Participem dos encontros de acompanhamento.

A formação de padrinhos/madrinhas exige que o candidato passe pela seguinte preparação:

1. Participe de Palestra aberta para a comunidade, com duas horas de duração, abordando os seguintes temas:

  • Esclarecimentos sobre o programa: apresentação técnica, legal e metodológica.
  • Apresentação da equipe técnica e de apoio;
  • Formação do grupo para a capacitação.
2. Participe de Oficinas de preparação:

São realizados Grupos de Padrinhos/Madrinhas com até 30 participantes. Cada grupo perfaz um total de 06 encontros. Cada encontro possui um tema pré-determinado e uma duração de cerca de três horas. Cada grupo preparatório é conduzido por uma equipe técnica formada por facilitadores treinados, psicólogos e assistentes sociais e auxiliados por estagiários do último ano de psicologia e do serviço social das universidades apoiadoras.
Temas das oficinas:

  • Expectativas e Motivação para o apadrinhamento afetivo e a formação da rede de apoio.
  • O Desenvolvimento da criança e do adolescente: apego, aprendizagem, sexualidade e autonomia.
  • Quem são as crianças e os adolescentes disponíveis para o apadrinhamento afetivo? (Este encontro contará com a participação da equipe técnica de instituições de acolhimento.)           
  • A Construção do Vinculo: Comunicação, limites e regras de convivência.
  • Especificidades da Adolescência: projeto de vida e o desligamento da instituição.
  • Que padrinho ou madrinha eu quero ser?

Após todo o trabalho de preparação e de reflexão, acredita-se que os candidatos a padrinhos e madrinhas poderão melhor decidir se desejam realmente fazer parte do programa com responsabilidade e comprometimento.  Se desejam conhecer uma criança ou um adolescente e dividir com eles, histórias, aprendizados, alegrias, dores, segredos e memórias.

Participe desse Programa!

Você pode fazer a diferença na vida de uma criança/adolescente. Como nos ensina o psicanalista francês, Boris Cyrulnik:

“Quando as crianças se apagam porque não têm mais nada para amar,
quando um acaso significativo lhes permite encontrar uma pessoa
– basta uma – para que a vida lhes volte...”

Inscrições gratuitas!

Clique aqui e preencha a Ficha de Cadastro.

Entraremos em contato tão logo seja formada uma nova turma.

Aconchego

Equipe

  • Maria da Penha Oliveira Silva (Coordenação)
  • Eliana Carla Kobori (Psicóloga e Facilitadora)
  • Flávio Lôbo Guimarães (Psicólogo e Facilitador)
  • Estela Argolo (Assistente Social)
  • Deusdedit Guimarães (Apoio Administrativo)
  • Regina Cely Mencarini (Apoio Administrativo)

 

Informações

Maria Penha OliveiraEnviar e-mail
(61) 9333 0884

Apoio

  • 1ª Vara da Infância e da Juventude do DF
  • Promotoria de Justiça de Defesa da Infância e da Juventude do DF
  • Universidade Paulista – UNIP
  • Colégio Leonardo da Vinci – Unidade 703 sul

Aconchego - Fotos
Aconchego - Fotos
Aconchego - Fotos